velaNa época da Idade Média não havia luz elétrica certo? Para qualquer atividade noturna (ou em locais com incidência insuficiente de sol) era preciso acender velas.

Candelabros, lampiões e muitas velas eram usados para tudo: jantar, tomar banho, costurar, cozinhar, ler e namorar. Os nobres e integrantes da realeza não ficavam com velas em punho para as tarefas rotineiras. A função de segurar o candelabro era dos criados.E, pasme! Assim acontecia até mesmo durante as relações sexuais. Quando os senhores queriam iluminação, ainda que indireta, os serviçais eram escalados para essa finalidade, ficando de costas até o ato ser consumado.Daí surgiu o termo “segurar vela”, que significa estar entre um casal, mas sem participar diretamente do ato. A energia elétrica foi descoberta, Tomas Edison inventou a lâmpada, mas a expressão atravessou os séculos e hoje é usada para indicar uma situação onde um casal e uma pessoa solteira saem juntas.A situação é considerada constrangedora. Ninguém quer “segurar vela” para ninguém. Nem vela, nem candelabro e nem lampião.